top of page
  • Foto do escritorCadu Lemos

#6/Eneagrama, o verdadeiro Manual Sobre Vivência...

Atualizado: 19 de set. de 2023


O Eneagrama dividido. A unidade do círculo,o equilíbrio do triângulo e as alternativas do hexágono.



Em meados dos anos 90, eu estava procurando um livro sobre meditação na livraria Cultura do Conjunto Nacional em SP (saudade de fazer isso, gastar algumas horas folheando livros e fazendo descobertas) e numa das prateleiras, vi alguns livros com uma palavra que eu não conhecia, que soava como algo gráfico, um desenho. Curiosidade nunca foi meu ponto fraco e claro que fui olhar o que era aquilo.


Aquele dia ficou marcado na minha mente.

Sentei numa poltrona perto da prateleira e fiquei em torno de duas horas lendo aquele livro, que claro, comprei junto com dois outros no mesmo tema. Uma pergunta não saía da minha cabeça: Como um livro e um autor de um assunto que eu nunca tinha ouvido falar, poderia me descrever de forma tão detalhada, mostrando coisas que eu mesmo não tinha valorizado em mim ou características das quais eu não me orgulhava tanto e pior, fazia de conta que não existiam?

Era meu primeiro contato com o Eneagrama e o impacto foi tão grande que mudou minha vida para sempre. Esse sistema ancestral de autoconhecimento além de criar um caminho, que trilho até hoje, me trouxe um entendimento sobre a minha consciência e me ajudou muito na fuga do 'piloto automático' em que nos encontramos em alguns momentos da vida.

Cada número do Eneagrama representa um padrão de pensamentos, sentimentos e comportamentos em que cada um de nós vê e opera no mundo. No gráfico abaixo, algumas das nomenclaturas dos tipos, de acordo com cada tradição ou escola.

Essas ideias têm milhares de anos e, mais recentemente, foram integradas à psicologia e à neurociência modernas. O sistema ilumina motivações pessoais, respostas e estratégias automáticas (inconscientes) que desenvolvemos ao longo de nossas vidas para nos ajudar a lidar e navegar no mundo.

Nesta edição d' O Psiconauta, não pretendo entrar nos detalhes históricos e na origem do Eneagrama, embora seja uma história muito interessante, há muitas interpretações possíveis desde que este conhecimento chegou ao ocidente pelas mãos de George Ivanovich Gurdjieff. Para conhecer mais, um filme sobre a vida dele está disponível no YouTube.

O Eneagrama que apresento aqui, conhecido como o Eneagrama dos 'tipos psicológicos', tem uma abordagem contemporânea, desenvolvida especialmente à partir de Oscar Ichazo e Claudio Naranjo.

Enquanto aprecio e tenho profundo respeito pela história espiritual e a tradição do Eneagrama, sempre senti que um balizamento e suporte científicos seriam fundamentais para alcançar mais pessoas, organizações e líderes em suas missões de construir vidas mais plenas e culturas organizacionais mais saudáveis.

Desta forma, estou muito alinhado com a visão de um de meus professores mais queridos, David Daniels. Sua formação e treinamento vieram de uma tradição científica, a Medicina. Ele foi psiquiatra e professor na Escola de Medicina de Stanford e sempre quis levar o Eneagrama além da visão empírica (um processo que parece ser eficaz em termos de seus objetivos declarados) dedicando-se, enquanto viveu, a ver o Eneagrama ser cientificamente comprovado como um método para mudanças substantivas e pessoais.

Em 2018, um ano após sua morte, aconteceu a publicação de um artigo científico, “Advancing Ego Development in Adulthood through Study of the Enneagram System of Personality”, que ele escreveu em coautoria com Terry Saracino, M.A., M.B.A.; Meghan Fraley, Ph.D.; Jennifer Christian, Psy.D.; e Seth Pardo, Ph.D. no Journal of Adult Development. O artigo e a pesquisa, apontam para evidências de desenvolvimento entre participantes do programa "Enneagram in the Narrative Tradition".

Os dados revelaram um avanço no desenvolvimento do ego entre alguns dos participantes que receberam pelo menos 40 a 50 horas de treinamento. Os resultados sugerem que os treinamentos intensivos de Eneagrama podem ser benéficos para promover o crescimento psicológico e o desenvolvimento do ego. As aplicações clínicas e as direções de pesquisa futura são também discutidas. Veja a íntegra aqui.

Como disse antes, o impacto do Eneagrama em minha vida foi grande e me impeliu a buscar mais conhecimentos sobre esse sistema. Fui estudar no começo dos anos 2000 com David Daniels (PhD, Médico Psiquiatra e professor de medicina de Stanford), e Helen Palmer (participante do grupo original de Claudio Naranjo, da Escola de Arica), representados à época no Brasil por Urânio Paes, que foi o primeiro brasileiro que conheci, que já abordava o sistema nas organizações. Foi um verdadeiro mergulho profundo no sistema, numa formação chamada EPTP (Enneagram Professional Training Program). Em seguida, fiz uma certificação do Eneagrama aplicado na liderança e equipes nas organizações (Train the Trainer), com a professora e consultora Ginger Lapid-Bogda PhD, outro grande nome global neste tema fascinante.

Juntos, à partir daí, Urânio e eu conduzimos inúmeros workshops e retiros de liderança e equipes de alta performance com Eneagrama para empresas como Avon, Oracle, Oi, Itaú-Unibanco, Tim entre muitas outras. O case Avon foi inclusive apresentado em congresso internacional por conta de seus resultados (se quiser conhecer o case em detalhes, mande uma mensagem inbox). O Eneagrama é um sistema potente e sofisticado de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal e profissional. que explica o comportamento humano com uma precisão que normalmente surpreende aqueles que tem contato com ele. O sistema descreve nove padrões de comportamento de forma muito objetiva e esclarecedora e freqüentemente leva as pessoas a fazerem reflexões e auto investigações profundas, assumindo e superando padrões negativos em um nível muito superior ao imaginado previamente.

Além de identificar problemas, uma das principais características do Eneagrama é apontar caminhos para resolvê-los, sempre balanceando profundidade e respeito às pessoas em sua abordagem.

Diferente de outras abordagens de perfis psicológicos, que em geral, colocam as pessoas em caixinhas ou rótulos, o Eneagrama aponta que já estamos nessas caixinhas e que, ao aprender a usar esse sistema, podemos navegar para fora destas generalizações, construindo um caminho mental e emocional saudável e pleno, justamente por ter consciência de nossos pontos cegos e acessar a nossa essência.

Ao conhecermos nosso próprio tipo, compreendemos os "porquês" de comportamentos antigos e recorrentes, sejam eles positivos ou negativos; padrões de atenção e de reação; fatores que levam à motivação ou à falta dela; habilidades e dificuldades específicas; e padrões de resistência à mudança, normalmente relacionados a crenças e hábitos formados desde a infância.

Ao contrário de outros sistemas, o Eneagrama vai além da simples classificação de traços. Começa com a premissa de que nosso “tipo” não é toda a verdade de quem somos, mas sim o padrão aprendido de mecanismos de defesa que empregamos para lidar com tudo, desde o estresse diário até as velhas feridas da infância.

Aliás, nenhum tipo é melhor que o outro, todos são reflexos da condição humana, que busca contínua evolução e consciência. Infelizmente, essas defesas tornam-se formas habituais de nos desligar, nos separando da vibração e do imediatismo da vida, bem como da plena expressão de nossa verdadeira natureza.

O Eneagrama amplia nossa visão de mundo e nos ajuda a manter relações mais saudáveis e produtivas. A autobservação é uma atitude fundamental nessa jornada.

Nas organizações

Os usos para o Eneagrama são diversos e imensuráveis, tocando em tudo, desde aquilo que nos motiva ou nos afasta, nos ajudando a entender verdadeiramente as pessoas ao nosso redor.

O Eneagrama é sobre empatia, novos acordos, compaixão, perdão e nossa interconexão na experiência humana. Ele é fundamental para nos ajudar a navegar no mundo complexo das relações pessoais e profissionais.

Em tempos de burnout, "quiet quitting", trabalho híbrido, pós pandemia esses aspectos de nossas relações passam a ser críticos no mundo do trabalho, onde passamos 70% da nossa vida adulta.

Nas organizações, quem trabalha à luz do Eneagrama está mais bem equipado para avaliar situações de autopercepção de padrões e aceitação dos padrões do outro, possibilitando a oportunidade de se forjarem equipes e lideranças de alta performance com alto grau de humanização e consciência.

Pessoas com todos os tipos de personalidade podem ser bem-sucedidas no trabalho. Nosso estilo de personalidade não determina nosso sucesso e, embora muitas vezes seja a fonte de muitos de nossos pontos fortes, pode criar pontos cegos e obstáculos que podem nos impedir.

O valor dos modelos de personalidade é que eles fornecem uma estrutura para alavancar pontos fortes e reconhecer mais rapidamente pontos cegos e obstáculos. Um bom modelo também pode nos fornecer roteiros para superá-los.


Nenhum modelo de estilos de personalidade faz essas coisas melhor do que o Eneagrama.

Hoje nas organizações, palavras da moda como “cultura”, "growth mindset” (mentalidade de crescimento), "resiliência", "empatia", "anti-fragilidade" entre outras, ficam flutuando na cabeça e nas palavras dos colaboradores e gestores, porém sem muito que se veja de concreto em conduzir diretrizes para uma ação significativa.

Incorporar o Eneagrama como um mecanismo para apoiar e capacitar equipes nas organizações é altamente transformador e traz impacto perene.

O Eneagrama facilita conversas, colaboração e união verdadeira de equipes de forma profunda e rápida, ampliando a empatia, tolerância e aceitação das diferenças de quem conhece e trabalha com essa abordagem poderosa.

O Eneagrama é uma ferramenta eficaz para construir equipes de alto desempenho, ajudando os indivíduos a entender as principais crenças e motivações que influenciam seus comportamentos.

A CNN Business cita um estudo de 2011, cobrindo 72 empresas, incluindo Best Buy, Daimler-Mitsubishi, Toyota e Avon, que descobriu que o uso do Eneagrama levou a uma melhor comunicação e colaboração, aumento das vendas e aumento do engajamento dos funcionários.


A pesquisa de 2011 foi conduzida pela rede global de consultores organizacionais que utilizam o Eneagrama, liderado pela PhD em Desenvolvimento Organizacional, Ginger Lapid-Bogda, citada acima, com quem estudei em 2008.

A edição atualizada da pesquisa (2022), acaba de ser publicada. Veja alguns dos resultados abaixo e faça o download do estudo na íntegra aqui. (Português, Inglês, Chinês, Francês e Espanhol). Uma vez que conhecemos nosso tipo de Eneagrama, podemos usar esse insight sobre nossas motivações e nossos padrões para conscientização e crescimento pessoal, profissional e ao fazer parte ou liderar equipes. Os pontos mais evidentes que o sistema beneficia são os seguintes: 1. Desenvolvimento gerencial e de liderança, 2. Construção e fortalecimento de equipes de alto desempenho, 3. Gestão de conflitos e de clima organizacional e 4. Base para a construção de um ambiente psicológicamente seguro e de uma liderança humanizada. O Eneagrama tem sido utilizado em empresas como Walt Disney Company, Kaiser Permanente Research Center, Federal Reserve, Motorola e Shell, para redefinir suas culturas organizacionais.

Importantes organizações multinacionais também já há muito, utilizam o modelo do Eneagrama com suas equipes.

Alguns exemplos: 3M, IBM, Energy Project, C.I.A., Boeing, Disney, Genentech, Sony, Du Pont, Procter &Gamble, Roche. No Brasil, podemos citar: Embraer, Bradesco, Oi, Vale, Vivo, Itaú-Unibanco, EATON, Souza Cruz, Yahoo, Avon, TIM, Oracle, entre outras.

Veja o que a pesquisa do uso do Eneagrama nas organizações publicada em Setembro de 2022, mostra sobre o impacto nos indivíduos, nas equipes e na liderança:


Conhecendo os tipos Os nove tipos do Eneagrama podem ser resumidos da seguinte maneira:


Organizado, disciplinado e responsável, o tipo 1 do Eneagrama tem a tendência de focar sua atenção no erro, ou seja, naquilo que precisa de correção. O tipo 1 é perfeccionista e reprime seus impulsos e desejos para manter uma postura correta na vida. Monitora o comportamento dos outros e principalmente o seu próprio, mas contém a raiva quando se depara com a imperfeição, podendo experimentar ressentimento. No trabalho, o tipo 1 possui como pontos fortes a integridade, a responsabilidade e a busca da excelência, da justiça e da razoabilidade. Por outro lado, pode tornar-se inflexível, irritar-se com o padrão “inferior” dos outros e exagerar no perfeccionismo. Desta forma, suas tarefas chave são calar o seu exigente “crítico interno” e desenvolver a aceitação.


Generoso, colaborador e atencioso, o tipo 2 tem a tendência de concentrar sua atenção naquilo que as outras pessoas desejam e precisam, negligenciando suas próprias necessidades. O tipo 2 procura ser indispensável para algumas pessoas significativas em sua vida e para isto transforma-se naquilo que estas pessoas querem que ele seja, numa estratégia de dar para então receber aprovação e aceitação. No trabalho, o tipo 2 possui como pontos fortes o apoio aos outros, a generosidade e sua capacidade de gerar bons sentimentos. Por outro lado, pode focar excessivamente as necessidades dos outros, evitar conflitos e negar seus próprios objetivos. Desta forma, suas tarefas chave são receber e dar apoio apropriado e tomar decisões com liberdade.


Autoconfiante, eficiente e cheio de energia, o tipo 3 tem a tendência de tornar-se o protótipo daquilo que esperam dele, focando excessivamente as tarefas e as metas, mas deixando de lado seus próprios sentimentos. Enquanto foge do fracasso e busca a aprovação dos outros, o tipo 3 tende a se tornar muito competitivo, ambicioso, impaciente e “workaholic”. No trabalho, o tipo 3 possui como pontos fortes a orientação para as metas, a postura de fazer acontecer e a confiança e otimismo. Por outro lado, pode enfatizar apenas a atividade e a eficiência, trocar sentimentos pelo sucesso e não pedir opiniões dos colegas. Desta forma, suas tarefas chave são prestar atenção aos relacionamentos e moderar o seu ritmo.


Sensível, autêntico e criativo, o tipo 4 do Eneagrama tem a tendência de sentir que algo importante lhe está faltando, alimentando uma sensação permanente de perda. Altamente emotivo, o tipo 4 freqüentemente se desaponta consigo mesmo e com os outros e pode se rebaixar na comparação com as outras pessoas. No trabalho, o tipo 4 possui como pontos fortes o talento criativo, o idealismo apaixonado e a compaixão. Por outro lado, pode ter uma sensação de insuficiência, evitar compulsivamente o trabalho comum e rotineiro e sucumbir à oscilação emocional. Desta forma, suas tarefas chave são apreciar o que está presente e manter uma liderança firme, apesar da alternância de sentimentos.


Inteligente, observador e cheio de boas idéias, o tipo 5 tem a tendência de se isolar das pessoas para ter privacidade e ser auto-suficiente, reduzindo desejos e vivendo uma vida simples. Substituindo experiências reais por uma vida mental, o tipo 5 prioriza armazenar conhecimento e informações e passa a observar o mundo à distância. No trabalho, o tipo 5 possui como pontos fortes a análise atenta e elucidativa, a calma nas crises e uma postura não invasiva. Por outro lado, pode tornar-se excessivamente analítico, desconectar-se emocionalmente dos outros e retrair-se, isolar-se. Desta forma, suas tarefas chave são sustentar a conexão com as pessoas e manter-se envolvido com a vida.

Cauteloso, fiel e cooperativo, o tipo 6 tem a tendência de imaginar o pior, evitando aquilo que pode dar errado ou ser perigoso. O tipo 6 foge do risco e torna-se vigilante e ansioso, tendo dificuldade em confiar nas pessoas e nas situações. Tende a ser pessimista e a não reconhecer ou esquecer as coisas positivas que acontecem em sua vida. No trabalho, o tipo 6 possui como pontos fortes a lealdade, o questionamento revelador e a previsão de problemas e situações. Por outro lado, pode amplificar cenários negativos, buscar a certeza continuamente, soar pessimista e duvidar de seu próprio poder. Desta forma, suas tarefas chave são construir a confiança e seguir adiante, apesar da dúvida e da incerteza.

Inovador, disposto e divertido, o tipo 7 tem a tendência de se dispersar e buscar opções mais prazerosas em tudo o que faz, perdendo seu foco e, às vezes, seus comprometimentos e vínculos. O tipo 7 foge compulsivamente da dor e do desprazer e, para isto, mantém várias opções em aberto e a vida em ritmo de aventura, racionalizando a maior parte de suas ações. No trabalho, o tipo 7 possui como pontos fortes o otimismo contagiante, as idéias e planos criativos e o estilo igualitário e encantador. Por outro lado, pode distrair-se facilmente, tornar-se impaciente com limitações e esquecer o que é importante para os outros. Desta forma, suas tarefas chave são manter compromissos e vínculos e reconhecer a dor e as limitações.

Resoluto, determinado e autêntico, o tipo 8 tem a tendência de cometer excessos e exagerar no exercício do poder e da dominação. O tipo 8 foge da vulnerabilidade e tem a tendência de negar suas fragilidades e de defender aqueles que são mais fracos. Costuma expressar sua raiva de maneira direta e confrontadora, podendo tornar-se intimidativo. No trabalho, o tipo 8 possui como pontos fortes a franqueza e generosidade, o vigor e prazer no que faz e seu lado justo e protetor. Por outro lado, pode invalidar as posições dos outros, negar suas vulnerabilidades e ter uma abordagem do tipo “tudo ou nada”. Desta forma, suas tarefas chave são aplicar poder e controle proporcionais às situações e valorizar as opiniões dos outros.


Calmo, paciente e quase sempre favorável, o tipo 9 do Eneagrama tem a tendência de se perder nas agendas, pedidos e demandas das outras pessoas, esquecendo-se do que é fundamental para si próprio. O tipo 9 foge do conflito e tem imensa dificuldade em falar “não”. Busca situações familiares e de conforto, contendo sua energia e sua raiva. No trabalho, o tipo 9 possui como pontos fortes a regularidade, a adaptabilidade e a capacidade de solucionar conflitos. Por outro lado, pode esquecer-se da sua própria importância, evitar o desconforto e tornar-se teimoso. Desta forma, suas tarefas chaves são traçar prioridades e limites e expressar suas próprias visões. Nossos tipos não mudam, mas nós podemos mudar, nos trabalharmos para uma evolução de consciência e relacionamento com o outro.

Porque o Eneagrama?

Acredito fortemente que para que se obtenha o mais profundo e eficaz resultado na transformação de culturas organizacionais, visando um ambiente mais consciente, harmônico e de relacionamentos verdadeiros, é necessária a reflexão individual e coletiva.

Essa reflexão resulta em um ambiente equilibrado e transparente, pautado nas relações entre as pessoas que constroem juntas a marca, produtos e serviços e o relacionamento entre si, seus clientes, fornecedores e o ambiente que as cerca.

No estudo conduzido pelo Google, para que se identificassem pontos que levam equipes a serem realmente de alta performance (gerando resultados e positividade) e harmônicas, chamado de Projeto Aristóteles, o coordenador e autor do conhecido livro " O Poder do Hábito", Charles Duhigg afirma:

“Quando empresas tentam otimizar tudo, constantemente esquecem que o sucesso é construído em cima de experiências — como interações emocionais, conversas e discussões sobre quem queremos ser e como nossos colegas nos fazem sentir.”

O trabalho de desenvolvimento de equipes utilizando o Eneagrama tem forte valor, impacto e transformação para os que participam.

A ideia é enxergar os tipos de forma a estarem representados por este diagrama do crescimento possível, evoluindo com esta poderosa ferramenta:

Aqui na Cadu Lemos I Performance e no ProjetoFlow, desenvolvemos conteúdos conceituais e vivenciais para a aplicação do Eneagrama nas empresas, focado em processos de liderança e construção de espírito de equipe.

A metodologia utilizada pode reduzir imediatamente conflitos e falhas de comunicação, atuar fortemente na construção e reforço da confiança e relacionamento positivo do grupo, além de ser um instrumento poderoso de auto conhecimento e desenvolvimento. Para conhecer o seu tipo e os programas em detalhes, acesse o site e cadastre-se na área de membros (o SEDI - Stanford Enneagram Discovery Inventory estará disponível para download).

Meus programas de desenvolvimento pessoal e mentoria com Eneagrama estão disponíveis de forma individual e coletiva. Marque uma conversa de 30 minutos comigo, para nos alinharmos e avaliarmos o 'fit' mútuo, sem compromisso aqui.



*As ilustrações dos tipos, são de Peter e Maria Hoey, publicadas no Los Angeles Times Até a próxima e que o flow esteja com você!

Sobre a newsletter "Psiconauta" é uma palavra baseada em raízes gregas que se traduzem em “explorador da mente”. É uma mistura de "psico'', um prefixo usado para descrever processos mentais ou práticas como psicologia e termos como argonauta e astronauta, cujas “viagens e explorações dos mares e do espaço” evocam uma transcendência elevada ou espiritual. A ideia é mensalmente provocar, refletir e agir sobre temas da mente e espírito. Siga nossos canais Instagram / YouTube / Website / Flow Training

Publicado por Cadu Lemos e equipe Projeto FLOW

304 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page